Teixeira de Freitas: Conforme informações obtidas junto ao Tribunal de Contas dos Municípios da Bahia, a Prefeitura de Teixeira de Freitas, sob a administração Temóteo Alves de Brito (PP), através da Secretaria municipal de Saúde, já pagou a empresa Maxx Clean Ltda, com CNPJ nº 07.207.716/0001-03 que funcionaria em um posto de combustível desativado na BA 290, antes do Pesque e Pague e conforme notícia crime protocolada pelo Conselho Municipal de Saúde na seda da Polícia Federal em Porto Seguro pertenceria de fato ao vereador Agnaldo Teixeira Barbosa (PR), o Agnaldo da Saúde, a bagatela de R$ 1.257.449,75.

A notícia crime protocolada na sede da PF denúncia fraude em licitação e desvio de verba pública do Sistema Único de Saúde, através da contratação fraudulenta de uma lavanderia de “fachada” para prestação de serviços de lavagem de roupas do HMTF, UMMI, UPA, UNACON, SAMU e HEMODINÂMICA para a Secretária de Saúde da Prefeitura de Teixeira de Freitas e relata que de fato a empresa pertence ao vereador Agnaldo da Saúde que utiliza de "laranjas" para ocultar a real propriedade.

A Polícia Federal instaurou inquérito policial e segue investigando o caso em segredo de justiça.

Agnaldo da Saúde é um dos vereadores que formam a tropa de choque do Governo Temóteo Brito no legislativo, líder do governo na Câmara, Agnaldo seria um verdadeiro camaleão na política, e diante da enorme rejeição popular do Governo do alcaide municipal, conforme após áudio vazado, já estaria de malas prontas para o grupo político de Caio Checon. Fato negado pelo próprio Caio Checon. (Clique aqui e veja)

“Bruno está trabalhando, e vem o nome da gente também que ajuda consolidar né, e tem que consolidar para prefeito que não tá bonito, TEM QUE DÁ UM JEITO PORQUE A REJEIÇÃO DE TEMÓTEO ESTÁ PEGANDO TODA, tem que ver como eu vou fazer pra sair dela, substituir e crescer o nome também né, ONTEM ESTIVE COM CAIO (CHECON), CONVERSEI BASTANTE, TEVE AQUI NA ROÇA COMIGO, e Bocão, enfim ESTAMOS FAZENDO UM TRABALHO AÍ, VÊ SE A GENTE CONSEGUE FAZER UM GRUPO E COMPOR, e ver o que vai acontecer com a gente”.

Relembre a matéria

 

A Delegacia da Polícia Federal em Porto Seguro, extremo sul da Bahia, instaurou inquérito, após representação do Conselho de Saúde, para investigar denúncia de fraude em licitação e desvio de verba pública do Sistema Único de Saúde, através da contratação fraudulenta de uma lavanderia de “fachada” para prestação de serviços de lavagem de roupas do HMTF, UMMI, UPA, UNACON, SAMU e HEMODINÂMICA para a Secretária de Saúde da Prefeitura de Teixeira de Freitas.

O Zero Hora News teve acesso com exclusividade a denúncia que originou a investigação da Polícia Federal que recai sobre os atos da licitação Pregão Presencial nº 125 – 2017 que resultou em contrato firmado entre a empresa Maxx Clean Ltda, com CNPJ nº 07.207.716/0001-03 e a Secretária de Saúde da Prefeitura de Teixeira de Freitas.

Entre os investigados pela PF, estão o ex-presidente da Câmara de Teixeira de Freitas, Agnaldo Teixeira Barbosa (PR), o Agnaldo da Saúde, que conforme denúncia seria o verdadeiro proprietário da lavanderia Maxx Clean Ltda e que se utilizaria de laranjas para disfarçar a propriedade da mesma. Também são investigados o ex-secretário de saúde de Teixeira de Freitas, Rodrigo Kuada Soares, que atualmente ocupa a coordenadoria do Núcleo Regional de Saúde Extremo Sul, bem como servidores públicos da comissão de licitação do município, o ex-vereador da vizinha cidade de Itamarajú - Bahia, Damião Fonseca Dias, e o senhor Benedito Ferreira Rosa que seria um dos “laranjas” que tem o nome utilizado como proprietário da lavanderia e na verdade é diretor do Hospital Sobrasa.

Conforme notícia crime que originou o inquérito da PF a empresa MAXX CLEAN LTDA foi adquirida as vésperas da publicação da licitação pelo vereador Agnaldo da Saúde através de interposta pessoa. Para tanto o vereador teria “comprado” a documentação da empresa M e T COMERCIO DE SERVIÇOS DE PRODUTOS HOSPITALARES LTDA ME com sede em Lauro de Freitas/BA, que tinha como objeto principal outro tipo de atividade comercial, sofrendo alteração na sua razão social e em suas atividades comerciais pouco tempo antes da licitação afim de “montar” a empresa com a qualificação necessária que futuramente seria exigida no edital.

A investigação também apura a concessão irregular de Licença Ambiental expedida pela Secretaria de Meio Ambiente do Município de Teixeira de Freitas para a MAXX CLEAN LTDA sem atender nenhuma exigência técnica, sendo unicamente concedida afim de cumprir exigência restritiva contida no edital do Pregão Presencial nº 125/2017 utilizada para afastar outras empresas interessadas que não teria tempo hábil para tentar obter a irregular exigência, sendo que a Licença Ambiental Portaria SEMMA n° 0149/2017, foi concedida 5 (cinco) dias após a publicação do edital, em tempo recorde e sem atender o que diz a lei.

O contrato firmado entre a MAXX CLEAN LTDA e a Secretária de Saúde da Prefeitura de Teixeira de Freitas para “lavagem” de roupas é de R$ 100 mil reais mensais, o que destoa da realidade, tendo em vista que na gestão passada a Secretária de Saúde detinha de lavanderia própria, sem utilizar um único centavo em contratação de terceirizadas.

A reportagem do portal Zero Hora News tentou contato com os investigados, mas, até a publicação dessa reportagem não obteve êxito. A reportagem entrou em contato com a Superintendência da Polícia Federal em Salvador, mas, foi informada por telefone que o inquérito corre em segredo de justiça e por essa razão não poderia ser fornecida mais informações.

Nossa equipe segue acompanhando o desenrolar do caso.

Com informações: Vanderlei Filho/Zero Hora News - A informação que faz a diferença

Em parceria com o portal Verdades Políticas/ Viviane Moreira

Links matérias correlatas:

1. https://verdadespoliticas.com.br/teixeira-lavanderia-que-funciona-dentro-de-loja-de-conveniencia-de-posto-de-combustivel-ja-recebeu-quase-r-12-milhoes-da-prefeitura/

2. https://verdadespoliticas.com.br/teixeira-mp-instaurou-inquerito-para-investigar-lavanderia-que-funciona-em-conveniencia-de-posto-e-ganhou-mais-de-r-01-milhao-em-licitacao/