O vereador de Ecoporanga, no Espírito Santo e ex-presidente da Câmara Róberio Pinheiros Rodrigues (PSDB) foi preso nesta quinta-feira (06/06), durante a quarta fase da Operação “Varredura”, denominada “Eco do Inhambu”, que investiga fraudes em contratos no setor de coleta e tratamento de lixo em municípios do Norte e Noroeste do Estado. O vereador, foi levado para o Centro de Detenção e Ressocialização de Linhares (CDRL). Dois mandados de prisão contra empresários estão em aberto.

Segundo as investigações, as empresas se organizavam para burlar o processo licitatório, criando entraves para outros participantes, como a inclusão de cláusulas restritivas em editais. Quando a licitação não acontecia, eram firmados os contratos emergenciais coma administração pública, que chegaram a durar até mais de três anos.

Segundo o Ministério Público do Espírito Santo, foram cumpridos seis mandados de busca e apreensão na sede da Prefeitura de Ecoporanga e na Secretaria de Meio Ambiente da cidade. Casas de pessoas investigadas na operação também foram alvos dos agentes. A intenção foi encontrar documentos e mídias eletrônicas que possam auxiliar a investigação.

Os integrantes do Ministério Público Estadual (MP-ES) vão analisar os malotes com documentos, além de celulares e computadores que foram apreendidos. O objetivo é apurar a prática de crimes de corrupção ativa e passiva, peculato, formação de quadrilha, fraude à licitação, tráfico de influência, dentre outros.

A operação é realizada pelo Ministério Público do Estado do Espírito Santo (MPES), por meio do Grupo Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco Norte) e da Promotoria de Justiça de Ecoporanga, com participação e apoio do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES.

As investigações estão sendo conduzidas por cinco promotores de Justiça, com participação e apoio de 13 policiais do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES, além de outros servidores.

Operação Varredura

A operação Varredura é desdobramento de três outras operações que já aconteceram em outras cidades do Espírito Santo. A ação foi deflagrada com o apoio da Polícia Militar e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

1ª fase  deflagrada pelo MPES no dia 29 de agosto de 2017, a ação aconteceu em São Mateus, Jaguaré, São Gabriel da Palha, e Vila Velha. Na ocasião foram cumpridos 12 mandados de busca e apreensão, além de três conduções coercitivas, deflagrada pela 3ª vara criminal da comarca de São Mateus.

2ª fase realizada no dia 31 de agosto de 2017, nos municípios de Porto Belo, São Gabriel da Palha, e Baixo Gandu. Nesta fase foram cumpridos mais cinco mandados de busca e apreensão e cinco mandados de condução coercitivas. Além da prisão do empresario Richelmi Milke, dono da empresa  RT empreendimentos e serviços Ltda, e o então secretario de administração e finanças na época Vanilson Alves Vilela.   

3ª fase no dia 26 de fevereiro de 2019 as cidades que foram alvos da operação foram Montanha, Saão Gabriel da Palha, Colatina e João Neiva. Nesta fase os suspeitos são investigados pela formação de organização criminosa, fraude em licitações, tráfico de influência, peculato e corrupção ativa e passiva.

Zero Hora News (A informação que faz a diferença) Fotos crédito/ G1