Após ser demitida, a ex-diretora de Negócios Apex postou em seu Twitter que estava pagando o preço por combater a corrupção no governo Bolsonaro. "Sofri pressão de dentro do governo pela manutenção de contratos espúrios", escreveu ela, que foi derrubada pelos militares

Indicada para o cargo pelo ministro da Relações Exteriores, Ernesto Araújo, Letícia representava a ala olavista dentro do governo e sua demissão é resultado de uma disputa interna com militares.

Letícia chefiava a diretoria de Negócios e foi demitida no começo desta semana, quando o novo presidente da Apex, o contra-almirante Sergio Ricardo Segovia Barbosa, tomou posse.

"A Apex-Brasil informa que, diante das declarações veiculadas pela ex-diretora Letícia Catelani na imprensa e redes sociais sobre supostos atos de 'corrupção' e a existência de 'contratos espúrios' na Apex-Brasil, encaminhou Notificação Extrajudicial para a ex-diretora para que, no prazo impreterível de 72 (setenta e duas) horas do recebimento, explicite e apresente elementos probatórios", informou a agência em nota.

A medida sinaliza que o órgão tomará medidas judiciais contra a acusações feitas pela ex-diretora.

Zero Hora News (A informação que faz a diferença)