O líder dos caminhoneiros, Wallace Costa Landim, conhecido como Chorão, não descartou a paralisação da categoria mesmo com o anúcio da petrobrás de que manterá o preço do diesel congelado por pelo menos 15 dias.

Segundo o jornal Estado de São Paulo, Chorão diz que pessoalmente é contra a greve, mas destaca que há de 15 a 20 grupos de articulação da paralisação no Whatsapp que fogem ao controle de lideranças sindicais como ele.

Caminhoneiros de Minas Gerais seriam os mais inquietos com o assunto, segundo ele.

“90% da categoria apoiou a eleição de Bolsonaro. Agora esperamos uma resposta. A Petrobras não responde 100% nossas reivindicações, mas demonstra que o governo busca mecanismos para nos atender”, disse Chorão.

Zero Hora News (A informação que faz a diferença)