Departamento Geral de Combate à Corrupção, ao Crime Organizado e à Lavagem de Dinheiro (DGCOR-LD) faz, desde as primeiras horas da manhã desta terça-feira, uma operação contra empresários suspeitos de fraudar uma licitação de R$ 10.678.257,50 do governo do estado. Os policiais civis pretendem cumprir seis mandados de prisão temporária e outros 15 de busca e apreensão.
Até o momento, quatro pessoas foram presas, dentre elas o líder da quadrilha, Walter José da Silva; os alvos da operação são:
. Walter José da Silva, mandados de prisão e de busca e apreensão - PRESO
. Robson Portugal Silva, mandados de prisão e de busca e apreensão - PRESO
. Valter Marques Filho, mandados de prisão e de busca e apreensão - PRESO
. Stephany Alves Marques, mandados de prisão e de busca e apreensão - PRESA
. Emily Marques de Souza, mandados de prisão e de busca e apreensão
. Evelyn Marques de Souza, mandados de prisão e de busca e apreensão
. Walter Martiniano da Silva, mandado de busca e apreensão
. Giselle Teixeira Mendonça, mandado de busca e apreensão
. Diboa Comercial LTDA, mandado de busca e apreensão
. Somar Rio Distribuidora, mandado de busca e apreensão
INVESTIGAÇÕES
De acordo com a titular do DGCOR-LD, a delegada Patrícia Lemany, a licitação fraudada foi para o fornecimento de papel para a Secretaria estadual de Planejamento e Gestão, de 20 a 25 de maio de 2016.
Além dos mandados de prisão e de busca a preensão, também foram pedidos o bloqueio de contas bancárias e sequestro de bens móveis e imóveis de luxo dos suspeitos para ressarcir os cofres públicos no valor do contrato (R$ 10.678.257,50). Eles serão cumpridos no Rio de Janeiro, Angra dos Reis, Santa Maria Madalena, Duque de Caxias, Araruama e Niterói, incluindo fazendas e mansões de luxo.
"As investigações começaram a partir de informações encaminhadas pela Controladoria Geral do Estado(CGE), que verificou indícios de duas empresas que poderiam estar frustrando a concorrência do edital", a delegada conta.
Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal Especializada do Crime Organizado do Tribunal de Justiça do Rio (TJRJ).
Zero Hora News (A informação que faz a diferença)