O vereador da cidade de Vespasiano  na Região Metropolitana de Belo Horizonte,Ederaldo Boffo (PSDB) fez uma transmissão ao vivo pelo Facebook, na noite de quarta-feira (24/07), na qual diz que seu 'gabinete' foi alvo de tiros e que o crime teve motivação política.


No vídeo, ele mostra as marcas de balas no portão de sua casa, onde também funcionaria o escritório e as viaturas policiais que chamou para registrar a ocorrência e provoca: “Pode vir cá dar tiro onde cês quiser, dá ni mim (sic), não dá em portão da minha casa não. Cambada de corrupto”.

Ederaldo Boffo diz estar indignado e que não vai parar seu trabalho. No vídeo ele credita o ataque a“político sem vergonha”. O vereador disse que o recado é para políticos safados. “Quem vai me parar é só Jesus Cristo”, diz mostrando na sequência os tiros.

Segundo o boletim de ocorrência, Ederaldo estava dentro da casa, onde fica também o gabinete, quando escutou os disparos que acertaram o portão e o muro. Foram achados seis cartuchos deflagrados de arma de calibre 380 e os militares chegaram a perseguir, sem sucesso, os supostos autores, que fugiram de moto.

O caso foi registrado como de motivação política e encaminhado à 3ª Delegacia de Polícia Civil de Vespasiano para investigação. A PC informou que está levantando elementos para identigicar autoria e motivação.

Procurado pela reportegem, o vereador disse que as ameaças e os tiros teriam ocorrido porque ele está fazendo uma auditoria na Prefeitura de Vespasiano e pagando com o próprio dinheiro. Ele afirma ter recebido cartas e áudios com ameaças. 

No vídeo, o parlamentar também alega que a filha Jéssica Boffo, que é secretária de Esporte na cidade, foi ameaçada de demissão que pessoas estariam tentando corrompê-lo. 

Em nota, a Prefeitura de Vespasiano negou qualquer vinculação com o atentado. “A Prefeitura de Vespasiano, através da Procuradoria Geral do Município, informa que os fatos narrados não têm vinculação com a administração pública municipal. Os mesmos são de natureza policial, que deve apurar e investigar. Quanto ao cargo da filha do vereador, é de livre nomeação e exoneração. Sendo assim, pode ser nomeado e exonerado a qualquer tempo”.

Zero Hora News (A informação que faz a diferença)