A Polícia Federal deflagrou a segunda fase da operação “E o Vento Levou”, na manhã desta quinta-feira (25). A ação é um trabalho conjunto da PF, da Receita Federal e do Ministério Público Federal.

De acordo com a polícia, foram expedidos pela 2ª Vara Criminal da Justiça Federal de São Paulo sete mandados de busca e apreensão para os endereços das pessoas e empresas envolvidas com os fatos investigados, nas cidades de São Bernardo do Campo/SP, Salvador/BA, Lauro de Freitas/BA, Milagres/BA, e Nova Lima/MG.

A primeira fase da operação foco foi o desvio de dinheiro da empresa CEMIG Geração e Transmissão por meio do aporte de R$ 850 milhões de reais na empresa Renova Energia SA com posterior repasse de parte deste recurso por meio do superfaturamento de um contrato com a empresa Casa dos Ventos e escoamento dos valores através de sua transferência a várias empresas. Em seguida, o dinheiro foi convertido em espécie e distribuído a diversas pessoas.

A nova fase tem como escopo o destino final do dinheiro, cujas provas produzidas até o momento apontam para pessoas e empresas de Minas Gerais e da Bahia.

Aos investigados poderão ser imputados, na medida de sua participação nos fatos, os crimes de Associação Criminosa (art. 288 do Penal), Peculato (art. 312 do Código Penal), Lavagem de Dinheiro (art. 1º da Lei 9.613/98), e Falsidade Ideológica (art. 299 do Código Penal) cujas penas, somadas, poderão resultar em 9 a 38 anos de prisão.

Zero Hora News (a informação que faz a diferença)