O prefeito de Ilhabela (SP), Márcio Tenório (MDB), foi afastado do cargo nesta última terça-feira (14/05) em uma operação da Polícia Federal. A Operação Prelúdio II apura crimes de fraude a licitação, superfaturamento de preços, corrupção ativa e passiva, lavagem de capitais e associação criminosa.

O político foi conduzido à sede da PF em São Sebastião, prestou depoimento sobre munições encontradas na casa dele e foi liberado. Sobre as investigações, ele ainda será formalmente acionado para depor. Em vídeo nas redes sociais, o prefeito afastado disse apenas querer que tudo seja rapidamente esclarecido e que confia na justiça.

A Prefeitura de Ilhabela informou, em nota enviada 12h30, que vai cumprir a determinação judicial de afastamento do prefeito e cinco servidores e tomará providências para manter os serviços públicos prestados dentro da normalidade.

A operação foi deflagrada na manhã desta terça-feira em desdobramento de outras ações da Polícia Federal. Segundo a PF, os materiais apreendidos na Operação Prelúdio I, em São Sebastião, serviram de base para a instauração de novo inquérito envolvendo outros alvos, agentes políticos.

A Polícia Federal informou que cumpriu 21 mandados de busca, três mandados de prisão preventiva, seis mandados de afastamento da função pública - inclusive do prefeito de Ilhabela - e uma de medida cautelar diferente da prisão.

A justiça determinou o afastamento do cargo também do secretário de assuntos jurídicos, do secretário de saúde, do diretor administrativo e financeiro de meio ambiente, presidente da comissão de licitação e coordenador de resíduos sólidos do aterro

Os agentes da Polícia Federal também cumpriram mandados na Câmara. Segundo o legislativo, nada foi levado do gabinete da presidência, mas foram apreendidos documentos, HDs e notebook dos gabinetes dos vereadores Gabriel Rocha (SD) e Cleison Guarubela (DEM). 

Zero Hora News (A informação que faz a diferença)