O vereador Claudio Duarte (PSL) de Belo Horizonte, preso suspeito de peculato, concussão, formação de organização criminosa e obstrução de Justiça, foi encaminhado para a Penitenciária Nelson Hungria, em Contagem na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Ele segue preso pelo esquema conhecido como "rachadinha", em que recolhia parte do salários de funcionário. Segundo a investigação, a fraude deve ter movimentado R$ 1 milhão desde 2017.

Duarte ficará afastado do cargo por 60 dias Segundo a Câmara Municipal da capital, ele continuará recebendo salário de R$ 17.642.00 mil. O suplente não será convocado.

Além dele, a Polícia Civil prendeu o assessor parlamentar e chefe de gabinete dele, Luiz Carlos Cordeiro. Este está detido No Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (Ceresp), na Gameleira, Região Oeste de Belo Horizonte.

Em nota, a Casa disse que “desde o primeiro momento a Câmara Municipal de Belo Horizonte prontificou-se a colaborar com os órgãos de controle, estando à inteira disposição para prestar esclarecimentos que se fizerem necessários na investigação”.

As prisões são temporárias, pelo prazo de cinco dias, e foram decretadas pela juíza Patrícia Santos Firmo. Segundo a Polícia Civil, elas foram necessárias porque o vereador estaria atrapalhando as investigações. Ele foi preso em casa, no Bairro Céu Azul e o funcionário foi detido na delegacia.

Zero Hora News (A informação que faz a diferença)