O Ministério da Saúde Pública e Bem-estar Social do Paraguai (Senepa) decretou alerta vermelho devido à proliferação do mosquito Aedes-aegypti  transmissor da dengue, zika e chikungunya – na última  terça-feira (08/01) para Assunção e outras cidades da região metropolitana.

Uma análise foi feita nos 67 bairros de Assunção e revelou um índice de infestação de 11,87%, número que ultrapassa os padrões internacionais de 1%, conforme informou o Senepa. Foram analisados 106.159 possíveis criadouros, sendo que 757 apresentaram larvas do Aedes aegypti.

Villa Elisa é a cidade com o maior índice de infestação deste mosquito (17,2%), seguida de Mariano Roque Alonso (13,44%), Lambaré (10,18%) e San Lorenzo (11,2%).

   

No Brasil

Levantamento apresentado pelo Ministério da Saúde brasileiro em dezembro mostrou que quase metade dos municípios (47,5%) estão em alerta ou risco de surto para a dengue, zika e chikungunya.

Os números integram o Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes Aegypti (LIRAa). Em relação ao mesmo estudo divulgado em junho, houve queda no índice de alerta e risco. Antes,60% das cidades estavam nesta condição.

Ao todo, 5.358 municípios de todo o país (96,2%) realizaram algum tipo de monitoramento do mosquito, sendo 5.013 por levantamento de infestação (LIRAa/LIA) e 345 por armadilha. A metodologia armadilha é utilizada quando a infestação do mosquito é muito baixa ou inexistente.

Segundo os dados do LIRAa, 504 municípios brasileiros apresentam alto índice de infestação, com risco de surto para doenças transmitidas pelo mosquito.

De acordo com o ministério, estão com índices satisfatórios: Curitiba (PR), Teresina (PI), João Pessoa (PB), Florianópolis (SC), São Paulo (SP), Macapá (AP), Maceió (AL), Fortaleza (CE) e Aracaju (SE).

As capitais com índices em estado de alerta são: Manaus (AM), Belo Horizonte (MG) Recife (PE), Rio de Janeiro (RJ), Brasília (DF), São Luís (MA), Belém (PA), Vitória (ES), Salvador (BA), Porto Velho (RO), Goiânia (GO) e Campo Grande (MS).

Já as capitais Palmas (TO), Boa Vista (RR) Cuiabá (MT) e Rio Branco (AC) estão em risco de surto de dengue, zika e chikungunya por apresentarem Índice de Infestação Predial (IIP) igual ou superior a 4.

Zero Hora News(A informação que faz a diferença)