Essa doeu. O atual tricampeão da Liga dos Campeões sucumbiu de forma vexatória na última terça-feira (05/03) em casa e viu cair por terra o objetivo de continuar dono do troféu mais importante da Europa por mais uma temporada.  

Há uma série de adjetivos para o que aconteceu com o Real Madrid diante do Ajax, em pleno Santiago Bernabéu. Humilhação, atropelamento, surra: o placar de 4 a 1 resume tudo.  

O time holandês merece ser muito aplaudido pelo que fez no jogo de volta das oitavas de final. No jogo de ida, em Amsterdã, a vitória do Real Madrid por 2 a 1 deu a impressão de que o caminho rumo às quartas estava traçado para os espanhóis.  

Amarga ilusão, inclusive para o capitão Sergio Ramos, que forçou cartão amarelo que o deixou suspenso. O zagueiro viu de camarote o sofrimento dos companheiros em campo. 

O choro de Vinicius Júnior parecia um prenúncio do que aconteceria ao fim da partida. O brasileiro foi substituído aos 34 minutos do primeiro tempo por causa de uma lesão no tornozelo. Àquela altura, já estava 2 a 0 para o Ajax, gols de Ziyech e David Neres.

O Ajax estava irresistível, encantador. O drible de Tadic em Casemiro foi espetacular - ele parecia até Zidane. Mas, no segundo tempo, o próprio Tadic tratou de fazer um golaço, acertando o ângulo de Courtois.  

Mas a confirmação do 3 a 0 demorou alguns minutos porque o VAR entrou em ação. Na jogada que originou o chute certeiro, houve dúvida se a bola tinha saído pela lateral ou não. Como a arbitragem não obteve uma decisão conclusiva ao ver as imagens, o gol foi confirmado.  

Faltavam 20 minutos para o fim do tempo regulamentar quando o Real Madrid deu um fio de esperança à torcida, com o gol de Asensio. 

Mas, com requinte de crueldade, o Ajax marcou o quarto gol dois minutos depois. E que gol. Uma cobrança de falta espetacular de Schöne que encobriu o goleiro do Real. Detalhe: em alemão, o nome do meio-campista pode ser traduzido por "belo".  

Com a goleada confirmada, o Real Madrid interrompe a sequência de títulos de uma forma inimaginável. Já eliminado da Copa do Rei e 12 pontos atrás do Barcelona no Campeonato Espanhol, a temporada do gigante de Madri, simbolicamente, chega ao fim neste 5 de março.

Zero Hora News (A informação que faz a diferença)