O diretor Jorge Fernando morreu por volta das 20h do último domingo (27/10), aos 64 anos, vítima de uma parada cardíaca, no hospital Copa Star, em Copacabana. Segundo um amigo da família, o diretor deu entrada no hospital na parte da tarde após se sentir mal. Em nota oficial, o hospital Copa Star afirmou que a parada cardíaca sofrida por Jorge Fernando se deu por conta de uma dissecção de aorta completa e que, apesar dos esforços, não foi possível reverter o quadro. Jorginho, como era conhecido entre amigos e colegas de profissão, ficou 20 dias internado para tratar uma inflamação no pâncreas, em 2016, e sofreu um acidente vascular cerebral em janeiro de 2017. Desde então, lutava para superar as sequelas que ficaram após o AVC.

Jorge Fernando de Medeiros Rabello nasceu no subúrbio do Rio e iniciou sua carreira na TV como ator, em 1978, na série "Ciranda, cirandinha". Mas foi como diretor que ele ganhou destaque, dirigindo 34 novelas, entre elas "A próxima vítima", "Vamp" e "Sete pecados", além de programas de entretenimento como "Divertics" e "Gente inocente". No cinema, dirigiu "Sexo, amor e traição", em 2004.

Em julho de 2017, no programa "Mais você", o diretor se emocionou ao falar para Ana Maria Braga sobre o derrame que sofreu: “Eu tive um AVC e imediatamente a carga de amor veio para cima de mim. Isso me acalmou muito, saber que eu tinha minha família, minha mãe, os médicos, os enfermeiros... É o maior aprendizado. Você fica com medo de morrer, não é bolinho (...). Tem medo de morrer para a vida. Eu tinha três projetos, uma novela, quero fazer teatro. A gente aprende a saborear cada momento. (...) A vida é muito breve para a gente sofrer.” Em sua última foto postada no Instagram, há dois dias, o diretor aparece sorridente, posando numa cabine telefônica. Na legenda, escreveu apenas uma palavra: “Harmonia”.

Zero Hora News (A informação que faz a diferença)