Com vários apagões e contas caras por todo o Brasil, inclusive para quem mora na Bahia, um estado onde os dias de sol são a maioria. Gerar a própria energia elétrica e economizar 95% na conta de luz já é possível no Brasil desde 2012, ano em que a Agência Nacional de Energia Elétrica regulamentou o segmento de geração distribuída.

Nela, voce produz sua energia através de placas de captação e geradores próprios, podendo jogar o excedente na rede da Coelba. Através de um sistema de créditos energéticos, a energia gerada durante o dia compensa o consumo da rede no período noturno.

Isso permite zerar o consumo do imóvel e ainda usar os créditos excedentes para abater a conta de outros imóveis. A vantagem é clara. O brasileiro paga a quinta conta de energia mais cara do mundo, e ainda enfrenta apagões constantes.

Hoje o segmento de geração própria já engloba mais de 54 mil consumidores, devendo chegar a 886.700 até 2024, segundo projeção da ANEEL. Sé em 2018 foram instalados 32.023 novos sistemas, desde em pequenas residências até grande industrias.

Como instalar em casa

O primeiro passo é ver na sua conta de energia qual o consumo mensal em kWh. Baseado nele é calculado o tamanho do sistema e seu custo (existe um simulador de custo e financiamento em www.portalsolar.com.br)

Ele diz quantos painéis fotovoltaicos voce precisa, a geração anual de energia solar, a área necessária, e o peso médio por m² de placa instalada. A instalação deve ser feita por uma empresa especializada que, além das placas, montará o inversor solar.

É ele quem usa energia da rede quando precisa e joga nela o excedente automaticamente. Depois é só ir à Coelba para homologar o sistema. Pronto. A manutenção se limita a limpar as placas a cada ano, com mangueira de água. O inversor e as placas têm garantia de 5 anos. 

Zero Hora News (A informação que faz a diferença)